49 3328 4874
ÁREA DO CLIENTE

TOPO

Postado em 18 de Janeiro às 16h19

Dicas para quem opera elevadores tracionados à cremalheira

Tríade Inspeção Industrial - Chapecó/SC A NR 18 apresenta as medidas de segurança para atividades executadas em elevadores tracionados à cremalheira. Abaixo, a Tríade relaciona as boas práticas de...

A NR 18 apresenta as medidas de segurança para atividades executadas em elevadores tracionados à cremalheira.


Abaixo, a Tríade relaciona as boas práticas de segurança que devem ser adotadas pelos trabalhadores e operários enquanto utilizarem o equipamento:
- O operador do elevador deve possuir qualificação para a tarefa;
- Verifique sempre se a capacidade máxima de carga (em quilos) não ultrapassa o limite estabelecido;
- É importante assegurar-se de que todos os dispositivos de segurança estão instalados e funcionam bem, como os sensores de segurança das cancelas e o limite de curso inferior e superior;
- Veja se além da cancela externa, existem outras barreiras de proteção;
- Atente se há no interior do elevador placas indicativas de carga máxima permitida;
- Verifique se a rampa de acesso possui piso antiderrapante e guarda-corpo em ambos os lados;
- Certifique-se de que os testes dos freios de emergência são feitos a cada três meses;
- Observe se a lâmpada interna clareia totalmente o ambiente e se ela tem proteção;
- Antes de iniciar o uso do equipamento, tenha certeza de que as duas cancelas, interna e externa, estão bem fechadas;
- O alçapão deve ser usado apenas para acesso dos montadores, eletricistas e mecânicos.
Quanto ao transporte propriamente dito, a NR atenta para as seguintes situações:
- É proibido transportar materiais com as cancelas ou o alçapão abertos;
- Peças longas, que ultrapassam o teto do elevador não devem ser transportadas por este meio;
- Nenhuma peça que atrapalhe a visibilidade do operador em relação às cancelas e sistema de comando devem ser transportadas pelo equipamento;
- No transporte e descarga de materiais, perfis, vigas e elementos estruturais é proibida a circulação ou permanência de pessoas sob a área de movimentação da carga e devem ser adotadas medidas preventivas quanto à sinalização e isolamento da área;
- Na movimentação e transporte de estruturas, placas e outros pré-moldados, bem como cargas em geral, devem ser tomadas todas as medidas preventivas que garantam a sua estabilidade;
- Os equipamentos de transportes de materiais devem possuir dispositivos que impeçam a descarga acidental do material transportado;
- O transporte simultâneo de pessoas e peças pode ser realizado, mas apenas com o operador e a carga. No entanto, deve haver uma barreira física, como uma porta pantográfica.

Seguindo estas orientações, você pode garantir a sua segurança e a de seus colegas. Ao constatar qualquer irregularidade no equipamento, pare a atividade imediatamente e comunique à SST! Lembre-se de que acidentes não acontecem por acaso, mas sim quando há descaso.

E, conte sempre com a Tríade, a sua parceira em segurança!

    Veja também

    Síndrome da Suspensão Inerte: você sabe o que é?28/06 Também conhecida como hipotensão ortostática, trauma de suspensão inerte e síndrome da cadeirinha, a síndrome da suspensão inerte é resultado das situações em que há queda e o cinto de segurança detém a queda, mantendo a pessoa suspensa no ar, sem apoio dos pés e das pernas. As fitas do cinto (material......
    SANTA CATARINA TEM PREOCUPAÇÃO COM O BEM-ESTAR ANIMAL21/06/18 A preocupação com o bem-estar animal está na pauta dos produtores rurais e das indústrias catarinenses de processamento de carne. Esta é uma questão absolutamente atual. As agroindústrias barrigas-verdes......

    Voltar para BLOG